Últimas Resenhas

12 de junho de 2017

Lançamentos Junho/2017 Editora Coerência


APENAS UM SONHO - GUILHERME GOMES

Sinopse: Essa é a história de Gabriel, um garoto atormentado pelo seu subconsciente que ao descobrir uma espécie de doença psicológica com o poder de mudar o rumo de sua vida, é guiado para um futuro imutável.Afogando-se em um mundo obscuro localizado em sua própria mente, o jovem culpa-se pelos acontecimentos já vistos nos quais não pode impedir ou interferir. Sentindo-se inútil e frágil diante do destino ganha um entendimento superficial em relação ao seu futuro: “A minha vida já foi escrita, não posso mudá-la”.O garoto envelhece tentando ignorar as suas visões para não se culpar. Mas, nos seus atos de ignorância, percebe que mesmo que ignore o futuro, o futuro jamais o ignora. E assim, abandona as teorias e agarra-se a uma certeza absoluta: “É preciso acabar com isso, antes que isso acabe comigo. ”Buscando na música uma forma de se agarrar à realidade, Gabriel vivencia suas aventuras de forma comum como qualquer outro adolescente. Até o momento em que seu subconsciente volta a interferir em sua sanidade, confundindo-o e o deixando desequilibrado, batalhando numa constante guerra emocional. 
Compre AQUI

CASTELO DE LARA: DIÁRIO DE UMA PRINCESA EM CRISE - JULIANA BICALHO

Sinopse: “Através de seu diário, Lara, a princesa de Lelsland, mostra que ser da realeza não é tão legal e glamoroso quanto parece. Uma vida comum a atrai muito mais, para ela, a liberdade é o mais importante.Cansada dos protocolos reais e das ordens da mãe, Lara se vê rodeada de fatos estranhos e começa a investigá-los, ao mesmo tempo em que passa a quebrar protocolos, se aventurando fora da “prisão de pedras” e apreciando mais sua paixão por vinhos.Em meio a bilhetes misteriosos de uma tia nada simpática e já falecida, uma paixão proibida em um pub promete trazer à tona seu passado, do qual não se orgulha e prefere manter em sigilo, se é que isso será possível. 
Compre AQUI

A SOCIEDADE DOS CORVOS 

Sinopse: Organizadora: C.B. KaihatsuA Sociedade dos Corvos é um grupo de autores e ilustradores apreciadores da literatura de mistério, terror, fantasia, suspense, drama e ficção policial.Possuem em comum, a admiração pelo trabalho do autor norte-americano Edgar Allan Poe, cujo poema O Corvo, ajudou a batizar o nome do grupo.Este projeto literário foi idealizado pela autora, C. B. Kaihatsu, reunindo novos talentos e o Mestre do Horror, R. F. Lucchetti, que escreve o prefácio e um conto como autor convidado.Cada escritor e ilustrador presentes no livro são corvos, e cada corvo autor, dentro de suas particularidades, apresenta narrativas empolgantes, bem escritas e que prendem o leitor do início ao fim. Assim como pedem os contos de mistério. Os corvos ilustradores apresentam traços incríveis, únicos e característicos de cada um.

Siga a Editora Coerência em suas redes sociais, para não perder nenhum lançamento:
Facebook / Instagram / Site / Youtube  

Beijos Nane

Resenha: Segredos Obscuros - Caroline Demantova

Resenha: Segredos Obscuros - Caroline Demantova

Livro: Segredos Obscuros
Autora: Caroline Demantova
Editora: Talentos da Literatura Brasileira
Ano: 2016
Páginas: 558

Sinopse: Roxana Irving, uma ex‑modelo famosa por escrever um livro sobre os bastidores da moda, decide se retirar para um isolado hotel fazenda no interior do Paraná, a fim de escrever sobre um famoso homicídio ocorrido no local: Cristiano Diniz foi acusado de matar Barbara, sua esposa, com base em provas indiciárias. Entretanto, o corpo não foi descoberto e, mesmo assim, Cristiano foi denunciado por homicídio – eis que em seu carro foram encontradas uma bolsa e uma blusa contendo o sangue da vítima, e uma testemunha afirmou tê‑lo visto carregando o corpo da esposa para o meio do mato. Um mês após a prisão de Cristiano, o corpo da esposa aparece misteriosamente. E pior: tudo indica que ela havia sido estrangulada nos estábulos do hotel, apenas duas horas antes. Mas esse crime, que culminou na morte de Barbara, nunca foi esclarecido, e Cristiano, desaparece num acidente de carro. Para desvendar esta intrincada e surpreendente trama, Roxana irá se deparar com segredos obscuros que envolvem a vítima e que ameaçam a vida do filho de Barbara.

Resenha: Segredos Obscuros - Caroline Demantova
Resenha:

Quanto segredo obscuro pode rodear a pequena cidade de Santa Leocádia? é o que Roxana vai tentar descobrir.

Roxana perdeu tudo, quando sua irmã fugiu com seu noivo e sua herança, usando o plano que ela mesma idealizara. Ela não achava justo sua madrasta e seu filho ficarem com parte da herança de seu pai, por isso, planejou, junto com o noivo Henrique, fugir com todo o dinheiro, mas foi passada para trás por ele e sua irmã.

"E foi assim que ela seguiu para Santa Leocádia. Ela só não sabia que sua vida seria colocada em risco nos próximos meses e que iria se deparar com segredos tão sórdidos que nem a mente mais criativa poderia supor que pudessem realmente existir."

Roxana ficou sem nada, nem para onde ir. Sua madrasta e o filho depois de conseguirem se recuperar financeiramente, voltando a morar com o pai de Cristiano, recusaram a ajudá-la, afinal, ela quem planejou contra eles, mesmo não tendo executado o plano, se não fosse por sua irmã, que era noiva de Cristiano, o ter abandonado para fugir com Henrique e o dinheiro, seria ela.

Resenha: Segredos Obscuros - Caroline DemantovaQue sangue frio tivera aquela mulher em nada revelar para a polícia. Saber que tinha um assassino à solta, que atentara duas vezes contra a vida de seu neto, e mesmo assim nada falar para a polícia."

Mas Roxana felizmente teve a ajuda de um anjo, e conseguiu se recuperar, virou modelo, e escreveu um livro, que fez muito sucesso.

Agora, após anos, ela resolveu ir até Santa Leocádia, escrever um livro sobre o famoso assassinato de Bárbara, e o sumiço de seu marido, que a princípio foi condenado por sua morte, mas sem terem achado o corpo. Após pouco mais de um mês que Bárbara havia sumido, seu corpo foi encontrado e seu marido, não poderia a ter matado, pois estava preso, e ela havia sido morta naquele dia.

"- As vezes a verdade é tão sórdida que é melhor que permaneça escondida."

Resenha: Segredos Obscuros - Caroline Demantova
Após um tempo dessa morte, seu marido desapareceu, seu carro foi encontrado no fim de um precipício e, até então, não encontraram seu corpo.

"Sim. Ela dizia que ele um dia ia fazer isso. Porque acho que no fim ele se arrependeu do que fez, depois de tudo que aconteceu. Depois de todo o inferno que ela tornou a vida deles. Acho que ele se atormenta por isso, sabe? Barbara achava Também. Por isso achava que um dia de tanto atormentá-lo ele se mataria. Esse era o plano dela."

Um mistério nunca desvendado, mesmo após três anos, a polícia não conseguiu descobrir quem matou Bárbara, e se Cristiano, seu marido, estava vivo ou não.

Resenha: Segredos Obscuros - Caroline Demantova" O perigo que eu sofro é porque estou investigando a morte de Barbara e as pessoas já concluiram isso. Já sabem que pretendo escrever um livro e tem coisas que não podem vir à tona para algumas pessoas. Sim, segredos horríveis, segredos obscuros..."

Será que Roxana conseguirá desvendar esse mistério? Conseguirá encontrar Cristiano? Vivo ou morto? Ela é apenas uma escritora, que pretende investigar o caso, e descobrir o que aconteceu com Cristiano. Qual o motivo dela querer tanto descobrir essa história? O que tem por trás desse mistério?

Adquira o seu exemplar:
Ou autografado diretamente com a autora pelo inbox do Facebook 


Beijos Nane

29 de maio de 2017

Resenha: O jacaré que andava em pé - Gerson Luiz Aires


Pensa em um jacaré persistente, Zezé é assim, quando deseja algo, faz de tudo para conseguir. Não se importa com o que os outros falam, até mesmo se os seus amigos dizem que ele não vai conseguir, mesmo assim ele insiste até o fim.

Essa é a história do Zezé, um jacaré que tinha o sonho de andar em pé, ele via que os homens conseguiam e também quis fazer igual.

Mas é impossível um jacaré que tem as pernas curtas e costuma rastejar por ai, andar em pé. Bom, era o que pensavam seus amigos, mas Zezé achava que se tentasse muito conseguiria.


Será que esse jacaré vai conseguir realizar seu sonho?

"Nos seus sonhos sempre se via andando em pé, junto com o ser que ele mais admirava! E então pensava: “Como ele consegue andar assim? Também quero andar em pé!”"

O autor conseguiu em poucas páginas, mostrar para as crianças o valor de lutar por aquilo que se deseja, de persistir até conseguir, de não dar ouvidos aos pessimistas. Tudo o que você desejar, você conseguirá!

Eu amei essa história, e tive o prazer de poder ler antes da publicação. E garanto que os pequenos vão amar também. O trabalho está lindo, o livro é todo ilustrado, deixando ainda mais gostosa a leitura dos pequenos.

O livro estará a venda a partir de 01 de junho de 2017, eu já estou ansiosa para ter ele em mãos.


Beijos Nane

Resenha: O doce sabor da Justiça - Paula Toyneti Benalia

Resenha: O doce sabor da Justiça - Paula Toyneti Benalia

Livro: O doce sabor da Justiça
Autora: Paula Toyneti Benalia
Editora: Talentos da literatura brasileira
Ano: 2017
Páginas: 336

Sinopse: Mike Heltimen é um advogado bem-sucedido. Para ele, a vida se resume a status social, dinheiro, festas e mulheres. Não consegue levar nada a sério, exceto o trabalho, em que defende grandes causas judiciais, com a certeza de sempre vencer.
Clarice Mariah não conhece limites. Acostumada a comprar tudo o que deseja, não consegue ter um relacionamento duradouro, já que para ela o que mais importa são suas preciosas bolsas. Porém, tudo se desnorteia quando ela perde os pais em um acidente, e, como única herdeira, se vê à frente de um império para comandar. E o tio dela entra com um pedido na Justiça para interditá-la, alegando que ela não tem condições de tomar conta dos bens da família.
Só que o advogado contratado pelo tio de Clarice é justamente Mike Heltimen. Em meio a tanto ódio e ofensas, nasce uma paixão avassaladora. Talvez Mike perceba que nem sempre ganhar é o melhor negócio, e Clarice descubra que há coisas mais valiosas do que suas bolsas.

Resenha: O doce sabor da Justiça - Paula Toyneti Benalia
Resenha:

O doce sabor da justiça é o segundo livro da série Doce sabor. Já postei a resenha do primeiro livro O doce sabor da vingança, você pode lê-la resenha aqui. Se não leu o primeiro livro, e não gosta de spoiler, não leia esta resenha, pois contém alguns.

Eu sou apaixonada pelo primeiro livro, e com o segundo não foi diferente, desde que li O doce sabor da vingança, fiquei esperando ansiosamente pelo lançamento de O doce sabor da justiça. A autora, escreve muito bem, suas histórias são envolventes, divertidas, e você quer devorar cada página.

A Paula se superou em O doce sabor da justiça, o livro está maravilhoso, ainda mais divertido. Mike, o personagem principal, além de lindo, perfeito e engraçado, como já tínhamos visto no primeiro livro, pois ele é o melhor amigo de Joe, também é muito romântico e exagerado.

Mike é advogado, sua empresa é super reconhecida, todos os casos que ele pega, ganha. Muito rico e muito mulherengo, é cheio de regras em relação as mulheres que sai com ele: jamais se apaixonar, nunca casar, não dormir nunca com uma mulher, em hipótese alguma sair com a mesma mulher a segunda vez, entre outras. Até Clarice entrar em sua vida, e quebrar todas essas regras.

"Eu diria que tudo ia bem, perfeitamente bem, na verdade. Eu diria até que não tinha problemas. A minha vida era uma farra, sem hora nem dia para acabar. Até que uma mulher entrou e começou a quebrar todas as regras."

Clarice, também, já conhecemos no primeiro livro, é melhor amiga de Julie, mulher de Joe. Fútil, ama comprar bolsas, mas com um coração enorme. Ela odeia Mike com todas as forças, e ele a ela. O que ambos não sabiam é que esse ódio, significava que estavam escondendo deles mesmos a atração que sentiam.


"Dizem que brincar com fogo é perigoso. E quando esse fogo aquece aquilo que está congelado pela perda? Não sei a resposta. Só sei que o desejo e espero que as cicatrizes não sejam tão cruéis, porque ele vai me machucar. Na verdade ele vai me massacrar!"

Desde de que se conheceram Clarice e Mike, só brigam, toda vez que estão no mesmo lugar, arrumam confusão. E por causa de suas loucuras, foram proibidos de irem ao aniversário das afilhadas deles, a única possibilidade seria se estivessem namorando. Impossível.

Resenha: O doce sabor da Justiça - Paula Toyneti Benalia
Não para esses dois, que mesmo se odiando, resolveram fingir que estão juntos, só para poderem ir à festa, afinal, amam demais aquelas meninas. 

Só que esse fingimento, acabou despertando outros sentimentos em ambos, e eles se apaixonaram. Mas o relacionamento não será fácil, e vem muita confusão, lágrimas, brigas e loucuras por ai.

"Ficamos em silêncio por alguns minutos, nossos olhos conectados, tão próximos que nossas respirações se confundem. Só que não vou deixar ele me beijar de novo. Não vou ser fraca. Ele está brincando comigo."

Mike precisa aceitar um caso de um amigo de seu pai, ele não quer, pois tem muitas coisa para fazer, e já não está mais dando conta, porém seu pai insiste, em nome dessa amizade. 

Clarice, acabou de perder os pais em um acidente, ela está desolada, nunca precisou se preocupar com nada, porém agora precisa fazer de tudo para cuidar da empresa que eles deixaram, e que o tio, quer, de qualquer maneira, tirar a administração das suas mãos.

"Eu nunca amei uma mulher e agora entendo o meu receio. Eu não estava preparado para amar, muito menos para perder.

O que eles não sabiam é que estavam no mesmo processo judicial, porém de lados opostos, e que isso os afetariam.

Resenha: O doce sabor da Justiça - Paula Toyneti Benalia

"- Eu não te odeio. Impossível odiar você, Clarisse - digo, passando o dedo em seus olhos para tentar conter uma lágrima que escorre por suas bochechas rosadas. - Você provoca um monte de sentimentos em mim que não sei compreender e nem explicar, só sei que não é ódio."

O que gosto mais nos livros desta série, é que são tão envolventes, que você entra na história e só sai dela quando lê a última página, sem querer parar. Eu me divirto muito, me emociono, e me apaixono, rs.

O livro é escrito em primeira pessoa, porém alterna entre a versão de Mike e de Clarisse, e eu adoro isso, por poder conhecer os dois lados. Nem preciso dizer que super indico essa leitura não é rs.

Leia resenha do primeiro livro aqui

22 de maio de 2017

Resumo: Auto da barca do inferno - Gil Vicente

Resumo: Auto da barca do inferno - Gil Vicente

Trabalho que fiz para o curso de Letras - 1º Bimestre/2017 Faculdade Unoeste. O resumo a seguir contém spoiler.

TEATRO: AUTO DA BARCA DO INFERNO - GIL VICENTE

Resumo: Auto da barca do inferno - Gil Vicente
O QUE É AUTO?

A palavra Auto, vem do latim actu, que significa ação, ato. Os autos são peças dramáticas teatrais, de curta duração, escritas de forma simples, sem muita marcação. Os autos começaram por volta do século XII, na época medieval na Espanha. Gil Vicente se destacou escrevendo autos, em Portugal, por volta do século XVI.

As peças de auto inicialmente eram apresentadas na igreja, sempre com tema religioso, e geralmente os personagens eram tirados de características abstratas, de caráter moral e religioso, como: luxuria, pecado, bondade, virtudes...

Após um tempo as apresentações se expandiram, e começaram também a serem feitas em praças, mercados e feiras. Foi então que deixou-se de falar só de tema religioso, e passou a abordar também temas mundanos.

Eram feitos em cenários simples, sem muita marcação, utilizava-se de linguagem coloquial, e divertiam as pessoas com seu ar de sátira.

PERSONAGENS PRINCIPAIS

Diabo: é o juiz das almas, não é ele o culpado por levá-las para o inferno, mas sim de julgá-las por suas atitudes, ele sabe tudo o que cada um fez. De forma irônica e zombeteira, ele vai penetrando na consciência humana e revela o que cada um quer esconder.

Anjo: é um personagem que aparece muito pouco, afinal quase ninguém é tão bom o suficiente para ser levado ao céu. Ele também julga as almas por suas atitudes, e mostra que quase ninguém consegue ser tão bom, por mais que tente.

Fidalgo: representa a nobreza, e se acha no direito de ir para o céu, chega vestido em seu traje exagerado, com seu pajem (criado), que está carregando uma cadeira de espaldar, foi arrogante e pretencioso em vida, e continua sendo depois de morto. Por ser de família rica, se acha merecedor de entrar na barca que leva ao céu. Não percebeu que pecou em vida, ele achava que o inferno não existia, e era feliz por ser idolatrado, achou que sua família o amava, mas percebeu que ficaram felizes com sua partida.

Onzeneiro (agiota): leva seu bolsão, sempre muito apegado ao dinheiro, juntou riqueza cobrando juros altíssimos de empréstimos feitos às pessoas que precisavam muito. Nunca pensou que não poderia levar seu dinheiro para o céu, nem mesmo para o inferno, e é para lá que o diabo o leva.

Resumo: Auto da barca do inferno - Gil Vicente
Parvo: homem inocente, chega à barca desprovido de tudo. É o personagem mais engraçado, já chega querendo entrar na barca, até descobrir que ela vai direto para o inferno, então começa a zombar da cara do diabo. Por sua inocência sempre fez as coisas sem malícia, sempre foi uma pessoa boa e sincera, ele é um dos poucos que conseguem entrar na barca do anjo e seguir para o céu.

Sapateiro: chega com seu material de trabalho, as formas e o avental, por ir sempre à missa e doar ofertas generosas para igreja, achou que teria passagem livre para o céu, ledo engano, pois ele usava de seu oficio para ludibriar as pessoas e tirar o dinheiro delas.

Frade: chegou com sua moça Florenza, um escudo, uma espada, um capacete e seu hábito, achando que por ser padre e servir a Deus iria direto para o céu, mas esqueceu-se de um pequeno detalhe, ele pecou muito em vida, pois mesmo conhecedor das leis de Deus, ele se enamorou pela moça, e agora os dois teriam que embarcar para o inferno. O personagem mostra o lado errado dos frades, aonde sua única obrigação seria simplesmente transmitir a paz, a verdade e a fé, mas eles pecam, e fazem coisas que são proibidas, como ter uma mulher.

Brísia vaz (misto de alcoviteira e feiticeira): chega dizendo tudo que tinha feito as moças, era agenciadora de meretrizes, tanto dinheiro extraiu do trabalho alheio, e mesmo assim se achou digna do céu. Através dela conhecemos o caráter de alguns personagens, que usaram de seus serviços em vida, inescrupulosa, maldosa, e traiçoeira. Foi obviamente condenada ao inferno.

Judeu: já chega carregando seu bode, querendo pagar para entrar na barca do inferno, que quase o recusa, nem o diabo o quer. Também foi condenado ao inferno por não seguir corretamente os preceitos religiosos da fé cristã.

Corregedor e o Procurador: por serem eles quem julgavam os outros, nunca eram julgados, acharam que não deveriam entrar na barca do inferno. Os dois conversam com o diabo, se achando merecedores do céu, mas o anjo mostra para eles que condenaram inocentes e soltaram bandidos, faziam isso por dinheiro. Eles se valiam de suas profissões para juntar fortuna de forma ilícita, eles eram piores do que os piores bandidos.

Enforcado: chega com a corda amarrada em seu pescoço, a mesma utilizada em sua morte, achou que por sua condenação em vida e morte por enforcamento por causa de seus furtos, seria perdoado e iria para o céu.

Cavaleiros Cruzados: Trazem a cruz de Cristo, foram os últimos a chegar à margem do rio, eles sempre lutaram por amor a Cristo, pela fé Cristã, tinham uma ficha impecável, permeada pela fé. Eles foram para o céu, claro, pois naquela época a Igreja dizia que quem morresse na guerra lutando por Cristo iria direto para o céu.

Resumo: Auto da barca do inferno - Gil Vicente

RESUMO DO LIVRO

O auto da barca do inferno se passa na beira de um rio, onde tem duas embarcações, uma que leva para o inferno e a outra para o céu, cada qual tinha um navegador, o demônio e o anjo respectivamente. O texto representa o juízo final católico de forma satírica e apelo moral.

As pessoas que morreram, vão chegando uma a uma, e cada qual vai sendo julgada por suas feitas na terra. Todos se acham no direito de embarcar para o céu, não percebem que o que fizeram em vida foi errado. Roubaram, mataram, mentiram, tinham atitudes incorretas. Esqueceram-se do mais importante, que para entrar no céu é preciso amar a Deus, e fazer coisas boas na terra.

A história é bem engraçada, com personagens muito interessantes. Uma história tão antiga, mas de um tema tão atual. Todos serão julgados por suas atitudes em vida.

O que Gil Vicente faz com esse texto, é desnudar as pessoas, mostrar suas falhas, seus pecados. Mostrar que muitos agem de forma imoral, andam em paralelo com sua vida Cristã. Muitos personagens trazem seus objetos mundanos, não conseguem se desvincular deles, são apegados aos bens, e os poucos personagens que conseguem ir para o céu, são os mais simples, desprovidos de tudo que é material e cheios do amor de Deus. É o Bem e o Mal.

Resumo: Auto da barca do inferno - Gil Vicente
BIOGRAFIA DO AUTOR

Gil Vicente, escritor, nascido em Portugal, em uma época em que seu país colhia bons frutos do desenvolvimento social, que veio pelos mares desbravados, por volta do século XV, momento em que a sociedade começava a sair de uma hierarquia social regida por regras inflexíveis, para uma onde se conseguia mudar a ordem instituída ao questioná-la. É considerado o primeiro grande dramaturgo português, além de poeta e escritor de peças teatrais, também desempenhava muito bem tarefas de músico e ator.

Gil Vicente casou-se duas vezes, seu primeiro casamento foi com Branca Bezerra, tiveram os filhos Gaspar Vicente e Belchior Vicente. Seu segundo casamento foi com Melícia Rodrigues, e tiveram os filhos Paula Vicente, Luís Vicente e Valéria Borges. Ninguém conseguiu até hoje precisar a data de nascimento dele e a cidade exata em que Gil Vicente nasceu em Portugal.

Auto da Visitação foi seu primeiro trabalho conhecido, apresentado em virtude do nascimento do príncipe D. João III, significou o marco de partida da história do texto português. A partir dai se tornou encarregado de organizar todos os eventos Palacianos.

O dramaturgo não parou mais de escrever, suas obras são de gêneros diversos: auto pastoril, farsa episódicas, autos narrativos, alegoria religiosa e narrativas bíblicas. Foi ele quem fixou o gênero de auto na dramaturgia de língua portuguesa, sendo um grande influenciador dos escritores que o sucederam. 

Suas principais obras são: "Auto Pastoril Castelhano" (1502), "Auto da Índia" (1509), "O Velho da Horta" (1512), "Auto da Barca do Inferno" (1517), "Auto da Barca do Purgatório" (1518), "Auto da Barca da Glória" (1519), "Farsa de Inês Pereira" (1523), "Auto Pastoril Português" (1523) e "Farsa do Juiz da Beira" (1525).


Beijos Nane

15 de maio de 2017

Resumo: Farsa de Inês Pereira - Gil Vicente


Trabalho que fiz para o curso de Letras - 1º Bimestre/2017 Faculdade Unoeste. O resumo a seguir contém spoiler.

TEATRO: FARSA DE INÊS PEREIRA - GIL VICENTE

O QUE É FARSA?

Farsa vem do Latim “Farcire” que significa mentir, é um teatro cômico medieval, criado em meados do século XVI na França. Ela tem intenção de despertar o riso, sem se basear na moralidade, e sim tirar fatos da vida cotidiana e transformá-los em exageros cômicos, é de curta duração, com poucas falas, dependente mais de cenários, roupas e gestos, é grosseira, direta e maliciosa.

Com poucos personagens, ela tende a mostrar o cotidiano das pessoas de forma mais exagerada. Seus personagens, homens, mulheres, empregado, patrão, advogado, amante, comerciante, entre outros, são usados para falar de uma pessoa boba enganada por uma muito mais esperta.

Ela não segue regras, por isso não se denomina comédia, nem paródia ou sátira, muito menos fábula, pois é o seu oposto. A farsa tende a passar uma mensagem de falsa moral, e entreter as pessoas de qualquer classe daquela época.

PERSONAGENS PRINCIPAIS

Inês Pereira: é uma moça a frente das mulheres daquele tempo, que quer desesperadamente se casar, acha que assim ficará livre dos afazeres domésticos. Ela é interesseira, fútil e preguiçosa. Procura um marido, mas não quer qualquer um, ela quer um que seja inteligente, fale bem, saiba cantar, galanteador, ela não se importa com o dinheiro, pois não quer um homem burro. 

Mãe de Inês: uma mãe cuidadosa, que tenta aconselhar a filha a escolher um bom marido, porém mesmo a filha não aceitando seus conselhos, ela apoia suas decisões.

Lianor: é uma alcoviteira, naquela época era esse tipo de pessoa que arranjava casamentos. Ela tenta casar Inês com Pêro, um pretendente muito rico.

Pêro Marquez: é um aldeão simples em seu modo de falar, porém ele é rico, mas muito burro. Inês o rejeitou no primeiro casamento, mas após ficar viúva casou-se com ele, e o fez de bobo, ela o traia e maltratava.

Brás da Mata (Escudeiro): é um galanteador, que engana Inês, com seu jeito formoso de falar, com sua música, porém ele é um pobretão e tirano, a deixa presa depois que se casam.

Ermitão: é um namorado de adolescência de Inês, ela o rejeitou, por isso ele se tornou ermitão, ele ainda nutria grande sentimento por ela, e é com ele que Inês trai seu segundo marido.

RESUMO DO LIVRO

Inês está cansada dos afazeres de casa, e acha que se encontrar um bom marido e se casar, será muito mais feliz. Mas ela não quer qualquer um, não se importa que seja rico, mas tem que ser inteligente, ter boas palavras, saber cantar, ela quer um galanteador.

Lianor, casamenteira que é, toda assanhada, quer de qualquer maneira casar Inês com Pêro Marquez, um rapaz muito rico, porém simples, não é bom com as palavras, muito menos sabe cantar. Inês aceita se encontrar com ele só para rir do pobre moço.

Ela o rejeita, a mãe insiste que ela deve aceitá-lo, mas Inês diz preferir um pobretão a um burro. Então diz a mãe que pediu a dois judeus para encontrar um marido para ela.

Logo chegam Latão e Vidal, numa falação só, um quer falar mais do que o outro. Eles conseguiram um marido para ela. Brás da Mata, um pobretão, que chega com um rapaz, o Moço, seu ajudante, ele a engana com suas doces e belas palavras, canta para ela e a pede em casamento.

A mãe de Inês a aconselha a não se casar com ele, mas Inês, iludida, o aceita, e a liberdade que achou que encontraria, se perdeu.

Seu marido a proíbe de cantar, de sair de casa, de ir à igreja, ele a proíbe de tudo. Quando precisa ir à guerra, pede para que Moço cuide de vigiá-la.

Inês recebe então a carta de seu irmão, dizendo que seu marido havia morrido na guerra, agora ela viúva resolveu se casar novamente, e escolheu o tolo Pêro Marquez. Já que o “cavalo a derrubou”, o primeiro marido a prendia, e o casamento não foi como ela imaginou, então agora ficaria com um “asno que a carregasse”, se casaria com Pêro, que a permitiria fazer tudo que quisesse.

Agora Inês vivia bem, não ficava mais presa, podia ir aonde quisesse. Certo dia um Ermitão bateu em sua porta, ela foi o ajudar, então o reconheceu como seu namorado da adolescência, ele se insinuou todo, dizendo que ainda gostava muito dela.

Inês resolveu que agora faria tudo que não pode fazer com o primeiro marido. Tinha se casado com um bobo, ela o traia, e pior, fazia-o carregá-la nas costas até a Erminda (uma capela pequena e distante da cidade), dizendo ao marido que ia rezar. Mas enquanto este tolo a esperava do lado de fora ela o traia com o Ermitão.

E assim termina a história, Gil Vicente foi acusado de plágio, então para provar que seus escritos eram verdadeiros, ele foi desafiado a escrever uma história baseada no ditado “Mais quero um asno que me carregue, do que um cavalo que me derrube.”

Ele conseguiu, e criou a história de Inês Pereira, que a principio escolheu um marido todo garboso, inteligente, de palavras doces, mas que a “derrubou”, a proibia de sair de casa, de cantar, de fazer qualquer coisa, ela não fez uma boa escolha. Então quando se viu livre dele, resolver escolher para marido, aquele que era tolo, assim ela faria tudo o que quisesse, e foi o que fez, de tão tolo, ela o traia em descaradamente.

Não é possível saber ao certo se ela foi punida pela traição, mas ao que parece não. Pois não era isso que Gil queria passa, a Farsa não é um teatro moral, e sim um teatro cômico, de falsa moralidade, o que ele quis, foi provar ser capaz de escrever uma história baseada em um proverbio, provar que seus escritos não eram plágio, e divertir as pessoas, e ele conseguiu.

Gil Vicente foi ousado em seu texto, ele criou uma personagem muito além de sua época. Inês Pereira era uma mulher audaciosa, assanhada, não gostava dos afazeres domésticos, desde o começo da peça já da para notar que ela é quem faz suas escolhas, e a faz baseada no que ela acredita ser o melhor para si, e no final, ela trai o marido descaradamente, coisa que em sua época não “acontecia”, e se acontecia era por baixo dos panos, as mulheres eram recatadas e obedientes a seus maridos.

BIOGRAFIA DO AUTOR

Gil Vicente, escritor, nascido em Portugal, em uma época em que seu país colhia bons frutos do desenvolvimento social, que veio pelos mares desbravados, por volta do século XV, momento em que a sociedade começava a sair de uma hierarquia social regida por regras inflexíveis, para uma onde se conseguia mudar a ordem instituída ao questioná-la. É considerado o primeiro grande dramaturgo português, além de poeta e escritor de peças teatrais, também desempenhava muito bem tarefas de músico e ator.

Gil Vicente casou-se duas vezes, seu primeiro casamento foi com Branca Bezerra, tiveram os filhos Gaspar Vicente e Belchior Vicente. Seu segundo casamento foi com Melícia Rodrigues, e tiveram os filhos Paula Vicente, Luís Vicente e Valéria Borges. Ninguém conseguiu até hoje precisar a data de nascimento dele e a cidade exata em que Gil Vicente nasceu em Portugal.

Auto da Visitação foi seu primeiro trabalho conhecido, apresentado em virtude do nascimento do príncipe D. João III, significou o marco de partida da história do texto português. A partir dai se tornou encarregado de organizar todos os eventos Palacianos.

O dramaturgo não parou mais de escrever, suas obras são de gêneros diversos: auto pastoril, farsa episódicas, autos narrativos, alegoria religiosa e narrativas bíblicas. Foi ele quem fixou o gênero de auto na dramaturgia de língua portuguesa, sendo um grande influenciador dos escritores que o sucederam.

Suas principais obras são: "Auto Pastoril Castelhano" (1502), "Auto da Índia" (1509), "O Velho da Horta" (1512), "Auto da Barca do Inferno" (1517), "Auto da Barca do Purgatório" (1518), "Auto da Barca da Glória" (1519), "Farsa de Inês Pereira" (1523), "Auto Pastoril Português" (1523) e "Farsa do Juiz da Beira" (1525).

Clique aqui e leia a obra original
Clique aqui e leia a obra adaptada para o português

Beijos Nane

12 de maio de 2017

Lançamentos Maio/2017 Editora Coerência



Maio está com lançamentos incríveis na Editora Coerência, Vamos conferir?

Livro: Para onde Iremos?
Autor: João Borges Ch. S.

Sinopse: Destino, meta, lugar onde se deseja chegar. É comum vivermos sem saber exatamente para onde estamos indo, porém, não é normal, diz o autor. Ninguém compra uma passagem para lugar algum.
Para onde iremos? É um livro que aborda os aspectos mais importantes da caminhada da vida. Entre elas a família, caráter e a mais importante de todas as questões: Qual destino você quer chegar? Para João Borges Ch. S. “A Caminhada é tão importante quanto o destino”. Não basta simplesmente saber o destino é importante conhecer a caminhada e fiscalizar a bagagem que carregamos nessa viagem, pois, no final dela, ou estaremos eternamente juntos de Deus, autor da vida e fonte de toda existência, ou estaremos eternamente separados dEle.
Como podemos então garantir que nossa caminhada nos leve para onde realmente precisamos ir? E ai, o que te impede de chegar onde você deseja chegar? E como ultrapassá-lo? O autor desenrola o tema e faz um xeque-mate mostrando o caminho para restauração e o porto seguro.

Sobre o autor: João Borges Ch. S, conhecido afetuosamente como "Borges" é Pregador, Missionário e Escritor. Ex-líder de treinamento da JOCUM-Jovens Com Uma Missão, em Benguela Catumbela Praia, ex-diretor da escola ETED-Escola de Treinamento E Discipulado, Bacharel em Teologia e graduando de filosofia na Puc-Go. Casado com Esmeralda e tem uma filha chamada Rachel Adriela. Vivem atualmente no Brasil. Tem atuado na área de treinamento de jovens para melhor servirem a igreja e a sociedade segundo seus propósitos de vida, e também na área de aconselhamento investindo na restauração de famílias e igrejas, bem como na formação de relacionamentos com o propósito de recuperar os valores perdidos, de moldar e trazer a cosmovisão do Reino de Deus para a sociedade.

Livro: A Deusa Guitarra
Autora: Sasha Marshall

Sinopse: Minha história não é para quem tem coração fraco. Ela é repleta de lindos empecilhos e tragédias que beiram a aflição. Eu nasci no mundo do rock-n-roll, era uma mera menina, que só queria ter sua própria cara de guitarra. De alguma forma, entre amplificadores, acordes e guitarras, encontrei o meu lugar. Nasci para criar música e fazer a multidão ficar de joelhos… até ser interrompida. Até o momento em que, pensar em fazer parte disso tudo, sem a presença dele, me causava náuseas.
Pensei que pudesse fugir do rock-n-roll, mas não consigo. Meu irmão é um rock star, e todos os nossos amigos fazem parte dessa indústria. De uma forma ou de outra, tenho o pressentimento que serei sugada de volta, apesar de temer não sobreviver. Talvez eu tenha mais chance de sobreviver ao rock-n-roll do que de sobreviver ao Jagger Carlyle. Jag é o melhor amigo do meu irmão, vocalista principal e guitarrista da banda Broken Access. Eu o amo desde menina, mas a indústria da música e o meu medo de rejeição, me impediram de assumir esse sentimento por todos esses anos. Quando as faíscas começam a inflamar e o mundo se empenha em nos separar, chego a pensar se o amor será o bastante.
Minha história te fará chorar, seja por tristeza, ou por causa do Kip. Basicamente, Kip é um idiota, mas ele é o meu melhor amigo. Ele tem o hábito de me acordar com filmes pornográficos europeus ridículos, e tem o dom de dizer as coisas mais inadequadas. À noite, é baterista; durante o dia é meu parceiro de crime. Eu deveria ter me apaixonado por ele, mas ele nunca cala a p***a da sua boca. Ele sempre foi o meu porto seguro, e, quando meu coração é partido em dois pelo Jagger, é Kip quem fica ao meu lado.
A Deusa da Guitarra ganhou dois prêmios SIBA, o segundo lugar como melhor romance independente de Humor e segundo melhor New Adult. Ele é o primeiro volume de uma série, com uma forte protagonista, bad boys e muito rock. Não se trata de um romance clichê com rock stars; ele te levará a uma nova aventura, diferente de tudo o que você já viveu. Se você procura por uma história de redenção, com alívio cômico e conteúdo altamente sensual, você encontrou o que procurava. Se você se ofende com rock stars tatuados, sensuais, e com linguagem vulgar, esse livro não é para você. Leitura inadequada para menores de 18 anos. A série possui conteúdo sexual, violência e linguagem inapropriada.

Sobre a autora: Sasha Marshall é uma autora americana que vive em Macon, Georgia. Até o momento ela publicou os primeiros cinco livros da série The Guitar Face. Recentemente publicou o primeiro livro de uma nova série, denominado Under the Cornerstone. Sasha é casada, tem dois filhos e três cachorros. É bacharel em História da Arte, possui mestrado em Ciências Sociais e fez especialização em Educação Tecnológica. Seu livro de estreia “A Deusa da Guitarra” ganhou dois prêmios no Summer Indie Book Awards 2016, nas categorias Humor e New Adult. 

Siga a Editora Coerência em suas redes sociais, para não perder nenhum lançamento:
Facebook / Instagram / Site / Youtube  

Beijos Nane

11 de maio de 2017

Resenha: Depois da Meia-noite: Abóboras e Loucuras - A. S. Victorian

Resenha: Depois da Meia-noite: Abóboras e Loucuras -  A. S. Victorian

Livro: Depois da Meia-noite: Abóboras e Loucuras
Autora: A. S. Victorian
Editora: Amazon
Ano: 2016
Páginas: 77

Sinopse: Seguindo o caminho da floresta 
Ao som da velha melodia, 
Com um pé no país das maravilhas 
Outro na casa de doces 
Vai buscando o encantado 
A boba princesinha...


Resenha: Depois da Meia-noite: Abóboras e Loucuras -  A. S. Victorian

Resenha:

Este é o primeiro livro de poesia que leio, quando vi a capa simplesmente me apaixonei. Eu adoro tudo que tem a ver com contos de fadas, porém não sou muito ligada a poesia, quer dizer não era, rs, até começar a faculdade de letras.

Resenha: Depois da Meia-noite: Abóboras e Loucuras -  A. S. Victorian

Na faculdade, tenho estudado muito sobre poesia, e me interessado bastante, nunca fui de ler, pois nunca as conseguia entender, achava-as pequenas, às vezes com palavras difíceis, muito complexas, acabava deixando de lado essa parte da literatura. Porém agora sinto vontade de ler e interpretá-las, e passei a perceber o quanto de carga emocional e crítica elas carregam.

Resenha: Depois da Meia-noite: Abóboras e Loucuras -  A. S. Victorian

Este livro foi uma grata oportunidade para começar a ler poesias. Quando a autora abriu parceria, eu logo inscrevi o blog, pois achei ser interessante meu ingresso no mundo das poesias começar pelas contemporâneas, afinal, ficariam mais fáceis de serem compreendidas, por utilizar um linguajar mais atual.

Resenha: Depois da Meia-noite: Abóboras e Loucuras -  A. S. Victorian

As poesias são lindas, profundas e abordam de forma implícita muitos temas como: suicídio, estupro, maldade, entre outros. Mas como disse estão todos escondidos, e você não pode fazer uma leitura superficial. Este livro precisa de uma leitura profunda e atenta, às vezes até mais de uma única leitura, é preciso ler nas entrelinhas, interpretá-las trazendo para nossa realidade.

Resenha: Depois da Meia-noite: Abóboras e Loucuras -  A. S. Victorian

As poesias são baseadas em vários contos de fadas que já conhecemos a tempos, Cinderela, Branca de Neve, Pinóquio, João e Maria, e muitos outros.

Resenha: Depois da Meia-noite: Abóboras e Loucuras -  A. S. Victorian

Fiquei realmente encantada, o livro está lindo, a diagramação e a capa estão maravilhosas. É uma viagem forte, emocionante, profunda e poética pelos contos de fadas mais lindos.

Resenha: Depois da Meia-noite: Abóboras e Loucuras -  A. S. Victorian

Contatos da autora:
Resenha: Depois da Meia-noite: Abóboras e Loucuras -  A. S. Victorian

Beijos Nane